reduzir custos e aumentar a produtividade

5 formas de reduzir custos e aumentar a produtividade na indústria

Todas as empresas devem oferecer produtos de qualidade a preços adequados, para se manterem competitivas. Para isso ser possível, uma empresa pode reduzir os seus custos de operação e aumentar a produtividade com a mesma quantidade de consumo.

A redução de custos não é apenas um fator necessário na hora de manter uma empresa à frente da concorrência. É, também, vital para sobreviver no mercado com o aparecimento de novos concorrentes a cada dia que passa. Muitos desses novos concorrentes contam com financiamentos externos e um foco de mercado competitivo, dificultando a manutenção das empresas já estabelecidas. Do mesmo modo, todos os fabricantes precisam de aumentar o seu nível de produtividade, para se manterem atualizados.

Em baixo, encontram-se as 5 principais maneiras que podem ajudar um fabricante a reduzir custos e a aumentar a produtividade.

1. Otimização do fluxo de trabalho

Analise o fluxo de trabalho necessário para fabricar o seu produto. Isto inclui tudo relacionado com o processo de fabrico, desde as pessoas e recursos até à comunicação e procedimentos. Estruturar todas estas atividades ajuda os profissionais a monitorizar a produtividade e a procurar qualquer margem para melhorias.

Quando se examina um processo em detalhe, tendencialmente encontram-se muitas lacunas que ainda não foram colmatadas. A improvisação é o principal objetivo da análise do fluxo de trabalho. É importante que os profissionais da empresa vejam essas armadilhas e que tentem combatê-las, o que a longo prazo pode reduzir custos e aumentar a produtividade da empresa.

2. Reduza os custos de mão de obra

Depois de analisar os processos, se o trabalho físico for o maior entrave nos custos, é melhor descobrir maneiras de operar com mão de obra mais barata. Mesmo que ache que a mão de obra disponível já é barata, nas empresas que exigem mão de obra altamente qualificada, os custos são muito maiores.

Com alguns planos de processo eficazes, os fabricantes – com a ajuda de profissionais e especialistas – podem eliminar parte do trabalho que é requerido. As empresas podem comprar máquinas robóticas para tarefas que exijam pouca qualificação. O custo inicial pode ser um pouco elevado, mas se for o equipamento certo para o processo certo, a produtividade e a lucratividade aumentam a longo prazo.

3. Custo dos materiais

Quando o custo do material representa a maior parte dos custos totais de produção, é evidente que se devem reduzir custos de compras e despesas.

Não se deve comprar material em grandes quantidades para reduzir os preços unitários. As compras e o tempo de fornecimento dos processos de fabrico desempenham um papel vital para avaliar o material que é necessário. Do mesmo modo, ajudam a perceber a quantidade e o tipo de material que não é preciso.

A documentação adequada e a formação dos funcionários podem reduzir a quantidade de material desperdiçado durante a produção. A implementação de iniciativas como Lean Manufacturing pode ajudar um fabricante a poupar dinheiro, através do uso organizado de materiais.

4. Despesas e gastos gerais

Os custos associados a edifícios, aos serviços essenciais como a eletricidade, água, gás, telefone, armazenamento e viagens, e os custos administrativos somam-se aos custos de produção. Estabelecer um orçamento para essas despesas, que deve ser reavaliado constantemente, pode ser uma medida eficaz para manter estes custos mais controlados.

No caso dos serviços de água e energia é importante escolher um fornecedor com tarifas de água e energia elétrica de acordo com as necessidades da empresa. Se a maior atividade da empresa se realiza de noite, pode contratar tarifas de luz que praticam preços mais baixos durante esse horário. O mercado oferece várias modalidades de tarifas de energia, que se ajustam ao consumidor.

Pode implementar medidas de poupança de água e de energia tais como:

  • Comunicar as leituras de ambos os serviços de forma regular, evitando leituras estimadas;
  • Fechar as torneiras quando não for necessário usar água. É importante que faça campanhas de poupança de água junto dos empregados, já que um dos maiores desperdícios de água ocorre nas casas de banho;
  • Verifique regularmente o sistema de canalização para evitar fugas de água;
  • Instale medidores de consumo de água;
  • Após a sua utilização deve retirar da ficha elétrica todos os dispositivos. Assim, evita o consumo fantasma que faz aumentar as contas de energia;
  • Utilizar equipamentos de alta eficiência energética. Os eletrodomésticos com a etiqueta A das classes energéticas são os que consomem menos energia;
  • Apagar todas as luzes e sistemas de climatização quando não os utilizar.

Monitorar outro tipo de despesas simultâneas também é importante, uma vez que parte do capital é absorvido por estes gastos.

5. Instalação de equipamentos modernos

Às vezes, é necessário investir um pouco para se poupar. Na verdade, investir em equipamentos para aumentar a produtividade não é, de todo, uma má ideia. Não se pode continuar a usar máquinas e equipamentos antigos e esperar que funcionem otimamente.

À medida que a tecnologia avança, chegam também as melhores tecnologias ao mercado. Investir em equipamento moderno pode reduzir os custos de produção a longo prazo, além de aumentar a produtividade. Além disso, também pode reduzir a necessidade de mão de obra. A parte inicial da instalação desse equipamento pode ser cara, mas se pensar nos benefícios a longo prazo, de certeza que irá compensar.

Reduzir custos pode ser a melhor maneira de trabalhar de forma eficiente numa empresa, independentemente do setor. Na indústria, o termo eficiência significa poupança de matérias-primas e recursos e maximização da produção. Se uma empresa conseguir reduzir custos com as dicas acima, poderá certamente aumentar a sua produtividade e até poupar dinheiro.

Selectra
www.selectra.pt

Translate »