Revista Manutenção

15 anos de experiência projetam as tendências do futuro em CMMS

15 anos de experiência projetam as tendências do futuro em CMMS

Com 15 anos na ManWinWin Software, estou agora em condições de partilhar o que acredito que serão as tendências dos próximos 10 anos no setor da gestão de manutenção. A integração de Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT), automação, Realidade Aumentada/Realidade Virtual (AR/VR) e a tomada de decisões com base em dados estão prontos para revolucionar esta indústria, melhorar a eficiência e reduzir os custos.

A tecnologia está a avançar rapidamente, não é? Às vezes parece que o que é verdade hoje pode já não o ser na próxima semana. Pode ser até completamente diferente no mês que vem. Este cenário em constante evolução está a deixar-nos um pouco ansiosos – talvez com uma sensação de FOMO (Fear Of Missing Out). O que devo fazer primeiro? O que posso implementar na minha empresa para nos tornarmos mais produtivos? O que me ajudará a fazer melhor o meu trabalho? Por onde devo começar?

Software de gestão de manutenção (ou, como se diz na gíria, CMMS) tem sido o meu mundo nos últimos 15 anos, e este mundo está a passar por transformações significativas. Com os avanços em IA, IoT, AR e automação, o futuro da manutenção possui um enorme potencial.

O objetivo deste artigo não é mostrar como devem levar a cabo a transformação digital na vossa empresa. Este artigo serve para partilhar convosco as principais tendências que acredito que moldarão a gestão de manutenção nos próximos 10 anos. Aproveitar esse potencial deve ser uma prioridade para as empresas. Fazer isso significa, em grande parte, capacitar a sua força de trabalho para conseguir isso neste ambiente acelerado. Então vamos lá mergulhar no potencial que temos à nossa frente na gestão da manutenção.

Tendência 1: O surgimento da IA e IOT na gestão de manutenção

A gestão de manutenção será fortemente influenciada pelas tecnologias de IA e IoT. Algoritmos de IA permitirão a manutenção preditiva, revolucionando a forma como as empresas lidam com falhas nos equipamentos. Ao analisar dados históricos e informações em tempo real dos sensores, sistemas alimentados por IA vão conseguir prever as necessidades de manutenção e vão otimizar os cronogramas. Esta abordagem proativa minimizará o tempo de indisponibilidade e reduzirá os custos.

Além disso, a integração de dispositivos IoT permitirá a recolha de dados em tempo real de equipamentos que estejam ligados. Sensores IoT monitorizarão o desempenho do equipamento, recolhendo parâmetros essenciais como a temperatura, a vibração e o consumo de energia. Esses dados capacitarão as empresas para implementar o chamado condition-based monitoring (traduzido à letra, monitorização com base na condição), possibilitando estratégias de manutenção preditiva e otimização da alocação de recursos.

Rodrigo Seruya Cabral
General Manager
Navaltik Management – Organização da Manutenção, Lda.

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº159. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

artigo futuro cmms

Outros artigos relacionados

Translate »