UMinho e Bosch otimizam stocks de segurança

Equipa da UMinho e Bosch premiada por modelo que otimiza stocks de segurança

O novo modelo matemático desenvolvido por uma equipa da UMinho em parceria com a Bosch Portugal, destaca-se por integrar 2 estratégias de gestão de stock de segurança para fazer face à incerteza das cadeias de abastecimento.

É um sistema de apoio à decisão que calcula e sugere os stocks de segurança ótimos de uma empresa, minimizando custos e garantindo o nível de serviço ao cliente. Esta inovação criada por uma equipa da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, com a parceria da Bosch Portugal, venceu o Prémio de Excelência Logística Academia 2022, da Associação Portuguesa de Logística (APLOG). O galardão anual distingue projetos académicos de inovação tecnológica e plataformas colaborativas que apontem novos paradigmas na área.

O projeto laureado designa-se DIABO (Data Intelligence & Analytics for Business Operations) e foi publicado na revista científica Computers & Industrial Engineering. O novo modelo matemático destaca-se por integrar 2 estratégias de gestão de stock de segurança para fazer face à incerteza das cadeias de abastecimento: manutenção de stock de reserva (safety stock); e antecipação da entrega das encomendas dos fornecedores (safety time).

O DIABO utiliza dados logísticos e, numa abordagem híbrida de otimização e simulação, sugere, de forma dinâmica, a estratégia a adotar em termos de safety stock e safety time para cada um dos produtos”, diz João M. Fernandes, coautor do trabalho e Professor Catedrático do Departamento de Informática da Escola de Engenharia da UMinho. O sistema de apoio à decisão otimiza, em conjunto, o stock de segurança e o tempo de segurança, maximizando os níveis de serviço e minimizando os custos de associados à manutenção dos stocks. Esta estratégia mostra-se fundamental para fazer face aos ambientes altamente disruptivos que as cadeias de abastecimento atuais enfrentam.

O projeto foi demonstrado na fábrica da Bosch em Braga, mas “pode ser extrapolado para as mais diversas áreas de atividade e com impacto”, realça o também investigador do Centro Algoritmi da UMinho. Na prática, interessa à indústria ter stocks cada vez mais baixos e, em paralelo, evitar as fortes penalizações de não entregar ao cliente a tempo. O projeto foi desenvolvido por João M. Fernandes, Maria Sameiro Carvalho, João Gonçalves, Tiago Martins, Luís Marques, Pedro Silva, José Telhada, Lino Costa, Miguel Oliveira, Marcelo Reis, José Miguel Silva, Luís Araújo e Daniela Correia.

Segunda distinção da parceria

É a segunda vez que a UMinho/Bosch vence o prémio da APLOG. Em 2016, destacou-se por apresentar a iFloW, “a primeira plataforma online a acompanhar em tempo real a localização de matérias-primas”. O conceito foi mesmo finalista do Prémio Europeu de Excelência Logística, da Associação Europeia de Logística. Em concreto, a Bosch em Braga tem algumas centenas de fornecedores, conta com cerca de 2.5 mil milhões de toneladas de fretes e a iFlow permitiu “aumentar a produtividade em 10% entre os planeadores logísticos em atividades de track & trace”.

Translate »