Revista Manutenção

O papel da metrologia na manutenção hospitalar

O papel da metrologia na manutenção hospitalar

Introdução

Os hospitais atuais utilizam várias dezenas de milhares de equipamentos, todos com o fim último de zelar pela saúde dos pacientes. Seja um desfibrilador utilizado para salvar pacientes em risco de vida; quer uma caldeira para fornecer água quente. O investimento realizado nestas infraestruturas, o elevado número de profissionais altamente treinados cujo funcionamento exige, dão prova da importância que as sociedades atuais dão ao papel desempenhado pelos hospitais.

Cada vez mais exige-se uma elevada fiabilidade dos equipamentos que suportam os procedimentos clínicos. De acordo com a EN 13306 [1], a fiabilidade é definida como a capacidade de cumprir uma missão, em determinadas condições e num determinado período de tempo. Isto significa que as avarias, que muitos consideram normais, não podem ser toleradas pelos profissionais de saúde, especialmente quando se trata de cuidar de pacientes em risco de vida.

Nas últimas décadas demonstrou-se que a não-existência de avarias, não é uma perspetiva realista, pelo que teve lugar uma mudança cultural, em que passou a considerar-se que a Manutenção deve garantir as funções dos equipamentos, e não necessariamente manter os equipamentos [2].

Garantir o devido funcionamento dos equipamentos requer uma gestão global dos mesmos, em detrimento de uma intervenção individualizada. As atuais normas de Gestão de Ativos permitem estabelecer um sistema de gestão com o objetivo de garantir as funções dos equipamentos, assegurando o futuro da Manutenção.

Novas abordagens na saúde, como a Metrologia, contribuem para um aumento do índice de disponibilidade dos equipamentos médicos. Este aumento surge porque a Metrologia contribui para a redução das consequências do erro humano. Hoje, considera-se que o erro humano é inevitável, pelo que devem ser criadas estratégias para lidar com ele [3].

Conceitos fundamentais

Manutenção pode ser definida como a combinação de todas as ações técnicas, administrativas e de gestão, durante o ciclo de vida de um bem, com o objetivo de o restaurar ou manter, de modo a que possa desempenhar a função requerida [1]. Esta definição reforça a importância do conceito da função, para a realização das atividades da Manutenção. Já é consensual que a definição das funções de um equipamento e a forma como são postas em causa, está no centro de um programa de manutenção eficaz [2].

A Metrologia pode ser definida como a ciência da medição e as suas aplicações, incluindo todos os aspetos práticos e teóricos do processo de medição, qualquer que seja a área de atividade ou aplicação [4]. A Metrologia assume uma importância fundamental nas Unidades de Saúde, porque as decisões
clínicas são baseadas em medições, como as temperaturas ou as pressões, por exemplo. A Metrologia também é essencial nas áreas não clínicas das Unidades de Saúde, que suportam a atividade clínica, como redes de água ou sistemas de aquecimento.

Jorge Santos,
Diretor da Unidade de Metrologia (SUCH)

Pedro Rompante,
Metrólogo Sénior e Especialista em Manutenção Industrial (SUCH)

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº140. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

Outros artigos relacionados

Translate »