Revista Manutenção

Novos lubrificantes OKS de alta tecnologia para a indústria alimentar

Novos lubrificantes OKS de alta tecnologia para a indústria alimentar

O principal requisito para lubrificantes com os quais os seres humanos podem entrar em contacto direto é a sua segurança fisiológica. Por outro lado a tecnologia operacional exige uma excelente eficácia na lubrificação dos componentes, aumentando a sua durabilidade, reduzindo o desgaste e promovendo um menor consumo de energia dos equipamentos.

O fabricante de lubrificações especiais OKS tem investido no conhecimento cada vez mais profundo dos processos de tecnologia operacional e requisitos atuais de higiene alimentar, de forma a responder às necessidades cada vez mais exigentes das indústrias ligadas ao setor alimentar.

Não há dúvida de que os lubrificantes não devem ser encontrados nos alimentos processados. Contudo a utilização cada vez em maior escala de máquinas e equipamentos nas indústrias de produção, processamento e embalamento de alimentos colocam do ponto de vista operacional o desafio de se ter lubrificantes fiáveis e eficientes na lubrificação dos seus equipamentos necessários para uma boa operacionalidade de todo o processo, e por outro lado que cumpram todos os requisitos necessários aplicados especificamente ao setor alimentar.

Na realidade quando falamos do processo na indústria alimentar, este inicia-se muito antes do processo em si de transformação dos alimentos. Basta pensar nos processos de criação de gado, agricultura, pesca ou produção de leite, bem como nos armazéns e meios de transporte.

Neste caso poderemos dar como exemplo a problemática da contaminação dos produtos agrícolas quando se utilizam lubrificantes nas máquinas e equipamentos de apoio que não são isentos de MosH (Mineral oil saturated Hydrocarbons/Hidrocarboneto Saturado de óleo Mineral) ou MoAH (Mineral oil Aromatic Hydrocarbons/Hidrocarboneto Aromático de óleo Mineral) podendo, desta forma, contaminar o produto final.

Mas não são apenas as indústrias produtoras e transformadoras que são responsáveis pela produção de alimentos perfeitos. Os fabricantes de máquinas para a indústria alimentar também deverão ter em conta a especificidade e exigência na escolha de lubrificantes. O mesmo se passa para os fabricantes de eletrodomésticos como frigoríficos, fornos, máquinas de corte ou fabricantes de embalagens. Todos devem ter uma exigência extra no que diz respeito a equipamentos ou embalagens que poderão entrar em contacto direto com os alimentos.

Requisitos dos lubrificantes para a indústria alimentar

Além das leis e regulamentos relevantes, existem vários requisitos básicos para os lubrificantes utilizados na indústria alimentar entre eles a neutralidade de odor e sabor, inofensividade fisiológica, resistência a desinfetantes e agentes de limpeza, compatibilidade com os alimentos, e ainda os regulamentos especiais que se aplicam em determinados países ou religiões.

Na elaboração dos lubrificantes para a indústria não são permitidas utilizar muitas das matérias-primas quando se fala no caso específico da indústria alimentar. Falamos principalmente nos aditivos clássicos usados para a melhoria das propriedades de resistência a altas pressões e proteção anticorrosiva. Mesmo pequenos vestígios de óleo mineral não aprovado para a indústria alimentar pode forçar o fabricante a ter de suspender a produção, ou estar sujeito a elevadas penalizações em caso de inspeção quando é detetada uma contaminação no produto final. Este facto pode acarretar elevados prejuízos
quando, por vezes, se facilita na utilização de lubrificantes sem aprovação para o setor alimentar.

Existem também diferentes valores limite para a concentração máxima de lubrificantes com aprovação para o setor alimentar. Esses valores limite variam de país para país. Por exemplo, para os óleos brancos – praticamente a única família de produtos à base de óleo mineral aprovados para a indústria alimentar – o valor de concentração máximo permitido no EUA é de <10 mg/kg, enquanto na Europa o valor de concentração máximo aplicado aos óleos brancos é de <4 mg/kg.

Fabricante OKS como especialista na temática da tribologia apresenta uma alta qualidade e eficiência nos produtos para a indústria alimentar

A tribologia tem sido ao longo de mais de 40 anos de existência a grande paixão do fabricante de lubrificações especiais OKS. A palavra deriva do dialético grego tendo o significado de estudo do atrito, e definida nos anos 60 como “A Ciência e Tecnologia da interação de superfícies em movimento relativo e assuntos e práticas relacionadas”. A tribologia ocupa-se da descrição científica da fricção, do desgaste e da lubrificação, bem como do desenvolvimento de tecnologias de otimização dos processos de fricção.

Contimetra, Lda.
Tel.: +351 214 203 900
contimetra@contimetra.comwww.contimetra.com

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº150/151. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

Outros artigos relacionados

Translate »