competitividade

Manutenção, o pilar da competitividade

A competitividade de uma empresa não tem a ver só com a eficiência na resposta a um cliente, mas com…

A competitividade de uma empresa não tem a ver só com a eficiência na resposta a um cliente, mas com a organização interna de cada uma e a sua constante atualização – diariamente “aparecem” solicitações e situações diferentes da anterior.

Qualquer empresa que queira estar presente num mercado local e global tem de estar preparada para dar respostas às diversas solicitações: tipo de material pedido, lotes/quantidades de cada encomenda, preços, prazos de entrega, condições de pagamento, transportes, entre outros. Essa preparação pressupõe recursos com ótimas formações para o desempenho das tarefas individuais e coletivas.

TODOS os setores deverão estar imbuídos do ideal e determinação que são emanados pela Administração.

No caso de uma empresa industrial, a Manutenção terá uma quota-parte importante porque tem elementos e os meios necessários para assegurar as condições operacionais dos ativos e contribuir para que sejam atingidos os objetivos e metas previstas para cada ano.

Deverá possuir uma definição clara de funções, manter um quadro de pessoal e de recursos estáveis e equilibrados com a dimensão de cada empresa e promover a formação técnica de cada elemento.

No “mundo atual”, a Manutenção é a única área/departamento que influencia e melhora a qualidade, o custo e o prazo de entrega de cada produto. Claro que há também os aspetos:

  • tecnológicos (dos equipamentos),
  • ambientais,
  • de inovação, e
  • de qualidade,
  • que têm de ser tidos em consideração.

A Manutenção só poderá ser eficaz quando puder evitar que uma falha ocorra num Ativo, através da utilização de técnicas e instrumentos que possam evitar a perda de produção, para além de evitar o consumo de materiais e de mão-de-obra especializada.

A Manutenção deverá colocar os Ativos disponíveis, para que a Produção possa cumprir a sua tarefa e a empresa possa atingir o grau de Competitividade que pretende, preparando-se para outros desafios.

Raúl Dória

O dossier “Gestão de energia aplicada a motores elétricos é composto pelos seguintes artigos:

  • Análise e Diagnóstico na manutenção
  • Elaboração de um diagrama de manutenção aplicado à Mini-Fábrica e à moagem de malte (2.ª Parte)
    • Adriano A. Santos, João Gonçalves, Alcides Gonçalves
  • A visão artificial na Indústria 4.0
  • A inovação na lubrificação para o aumento da produtividade
  • O papel do consultor de Gestão da Manutenção
  • Como reduzir custos energéticos ao inspecionar purgadores de vapor
  • Boas práticas na manutenção, reparação e revisão de motores
    • Pedro Maia, Flaviano Carvalho, WEGeuro

Para ler o dossier completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº136. Pode também solicitar apenas este dossier através do email: [email protected]

artigo

Outros artigos relacionados

Translate »