Gestão de ativos e a sua implicação

Gestão de Ativos e a sua Implicação

O presente dossier chama a atenção dos Responsáveis de Manutenção para um conceito que é “muito caro” às organizações – a Gestão de Ativos a Sua Implicação.

Entende-se por um ATIVO um Bem que tem um valor (potencial ou real), mas que varia de empresa para empresa, dependendo dos rumos que cada uma segue para atingir os objetivos propostos.

As empresas possuem e controlam Ativos que poderão ser:

  • a) Tangíveis – têm existência material (física):
    • a. Equipamentos de Produção / Manutenção,
    • b. Edifícios e Infraestruturas,
    • c. Ferramentas,
    • d. Materiais / Stocks
  • b) Intangíveis – são bens imateriais:
    • a. Tecnologia de Informação,
    • b. Contratos,
    • c. Marcas,
    • d. Direitos de Imagem

Poderá existir alguma “sobreposição de tarefas” entre a Gestão da Manutenção (GM) e a Gestão de Ativos (GA) – não são idênticos, mas sim complementares. A Gestão da Manutenção:

  • Controla os indicadores, para determinar e antecipar possíveis problemas, evitando paragens desnecessárias,
  • Estabelece prioridades de intervenção,
  • Colabora de forma direta e importante para que os Ativos Físicos possam atingir as metas organizacionais, o que não quer dizer que não deva ter em atenção aos Ativos Imateriais estão ligados,
  • Acompanha e prolonga o Ciclo de Vida dos Ativos, tendo em conta o investimento
    efetuado, enquanto que a Gestão de cada Ativo Físico tem em atenção os conceitos de:
    • Disponibilidade (quanto mais disponível, mais produtivo se torna),
    • Ciclo de Vida (Coordenação de cada item),
    • Para que possam desempenhar as funções para que foram adquiridos.

Para as tomadas de decisão das organizações:

  • a. Informação dos Ativos Críticos (que poderão ser substituídos),
  • b. Como, quando e onde poderão investir,
  • c. Quais os riscos e melhoria de segurança (avaliação do risco) que devem ser geridos.

O resultado final da GA + GM é o aumento da disponibilidade de cada Ativo, tendo em atenção o respetivo Ciclo de Vida. Para a implementação de ambas e posteriores tomadas de decisão em tempo útil, aconselha-se a aquisição de um software para a Gestão da Manutenção (CMMS) que possa também contribuir para a Gestão dos Ativos (EAM).

Raúl Dória

O dossier “Gestão de Ativos e a sua Implicação” é composto pelos seguintes artigos:

  • Gestão de ativos nas utilities – o caso da água
    • Luís Nicolau, Diretor Gestão de Ativos e Engenharia, Águas do Norte – Grupo de Águas de Portugal
  • Gestão de ativos
    • Teresa Canelas, Head of Department/Business Development, IEP – Instituto Eletrotécnico Português
  • Breve abordagem à importância estratégica da função manutenção
  • O papel dos ultrassons na gestão de ativos e manutenção preditiva

Para ler o dossier completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº153. Pode também solicitar apenas este dossier através do email: [email protected]

Outros artigos relacionados

Translate »