Como a Internet das Coisas pode transformar a sua rede de água

Como a Internet das Coisas pode transformar a sua rede de água

O setor da água passou por enormes mudanças nos últimos 20 anos. Para garantir que as fábricas e redes continuassem a funcionar com segurança, era normal ter uma grande equipa de operações para realizar tarefas demoradas, como medições manuais. Hoje, somos amplamente capazes de operar estações de tratamento de água remotamente, o que é uma vantagem para a produtividade, precisão e eficiência.

O aumento da população, a industrialização e as mudanças climáticas intensificam a escassez de água. Comunidades em todo o mundo têm uma necessidade urgente de serviços de água e saneamento (water and wastewater ou W/WW) seguros, confiáveis e acessíveis. A W/WW é uma indústria não cíclica: as autoridades continuarão a investir em atualizações enquanto a população aumentar e a infraestrutura envelhecer. Portanto, é fundamental aproveitar as soluções certas no momento certo para garantir que esses investimentos sejam eficazes na melhoria das operações e na justificação dos gastos de capital.

Todos no setor de W/WW devem concentrar-se na Internet das Coisas (IoT) e em como ela pode melhorar as suas operações. A IoT conecta objetos digitais, como sensores e medidores de caudal à Internet, transformando-os em ativos “inteligentes” que podem comunicar com utilizadores e sistemas de aplicativos. Isso permite um controlo de processo mais eficiente e gestão de rede otimizada. As operações gerais de monitorização da água, que antes eram manuais e ineficientes, agora podem ser automatizadas, relatando continuamente seu próprio status em tempo real.

Planear e implementar soluções de IoT em grande escala não é simples e há muitos aspetos a serem considerados. Uma solução IoT típica é composta de várias camadas, cada uma com os seus próprios desafios. A visualização mais bem aceite de uma solução de água IoT foi originalmente desenvolvida pelo fórum Smart Water Area Networks (SWAN). Consiste em 5 camadas distintas, incluindo:

  • Camada física (tubos, bombas, válvulas, entre outros);
  • Camada de sensor (instrumentação de processo);
  • Camada de comunicação (armazenamento e transmissão de dados);
  • Gestão e exibição de dados (ferramentas de visualização);
  • Fusão e análise de dados (algoritmos preditivos e Inteligência Artificial).

Luc Turner
Industry Manager – Water & Wastewater
Endress+Hauser Australia Pty Ltd

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “Manutenção” nº148. Pode também solicitar apenas este artigo através do email[email protected]

Outros artigos relacionados

Translate »