Revista Manutenção

Sensores para monitorização condicionada de óleos

Sensores para monitorização condicionada de óleos

A Manutenção Preventiva Condicionada está subordinada a um acontecimento predeterminado que revela o estado de degradação de um bem. Trata-se de uma ferramenta muito eficaz que, sendo aplicável, deverá ser utilizada em qualquer sistema de manutenção integrada. Grande parte dos programas de Manutenção Preventiva Sistemática (intervenções segundo calendário pré-estabelecido) podem ser substituídos com vantagem por aquela ferramenta, reduzindo significativamente o número de avarias intempestivas e melhorando o planeamento e a programação das intervenções. Neste âmbito, surge a necessidade da utilização de sensores de medição da qualidade do óleo, como forma de automação de processos. O seu objetivo será a recolha de dados e consequente diagnóstico do funcionamento das linhas de produção.

Existe uma grande variedade de sensores no mercado, cada um deles com as suas características e especificidades, tipos de configurações, diferentes leituras e limitações próprias. Mas no geral, os sensores foram projetados através do conceito “amigo do utilizador”, de forma a serem aplicados numa grande diversidade de configurações, que vão variar de acordo com as necessidades apresentadas pelo cliente. No mercado existem sensores que permitem a monitorização de equipamentos desde as simples métricas relacionadas com a indicação da potência, das rotações, da temperatura ou da pressão até aos que utilizam métodos mais sofisticados como os das medições acústicas.

O nosso objetivo é a apresentação de sensores que realizam a monitorização de um lubrificante em serviço e de um modo contínuo (Figura 1).

Sensores TANDELTA para OCM em tempo real.
Figura 1. Sensores TANDELTA para OCM em tempo real.

A Tan Delta Systems é uma empresa do Reino Unido que desenvolveu uma tecnologia própria e precisa de monitorização da condição do lubrificante para um leque bastante diversificado de equipamentos. Prevalece face às empresas concorrentes, pela sua tecnologia inovadora FSHTM “Full Spectrum Holistic”, permitindo a realização do controlo de condição em contínuo de qualquer tipo de contaminações e desgaste, em tempo real, da condição do lubrificante em uso num determinado equipamento (Figura 2).

Tecnologia inovadora – Tan Delta “Full Spectrum Holistic”
Figura 2. Tecnologia inovadora – Tan Delta “Full Spectrum Holistic”.

Desta forma, a identificação atempada de problemas na condição do lubrificante, permite a tomada de ações imediatas para evitar paragens, reduzindo o risco de danos no equipamento. Por consequência, a redução de custos de manutenção também é alcançada, uma vez que esta monitorização em tempo real permite a maximização da vida útil do lubrificante em utilização, não comprometendo a sua fiabilidade.

O OQSxG2ExII (sensor de medição da qualidade do lubrificante) foi desenhado para operar em condições de operação severas. É certificado para utilização em atmosferas explosivas – ATEX – Padrões BS EN 60079-0:2012 e BS EN 60079-11:2013 Ꜫx IEC IIA T3 Gc. É fabricado em aço inoxidável AISI304 de elevada qualidade com Índice de Proteção IP67, adequado para ser aplicado em qualquer equipamento incluindo Zonas 2 ATEX.

  • BS EN 60068-2-30 (teste Db- humidade cíclica);
  • BS EN 60068-2-6 (teste Fc- vibração senoidal);
  • EN 61000-6-4:2007 (padrão genérico de emissões para ambientes industriais);
  • EN 61000-6-2:2005 (padrão genérico de imunidade para ambientes industriais);
  • BS EN 60068-2-27 (teste Ea- choque mecânico).

Ana Teresa Laranjeira e Jorge Cardoso
Serviços Técnicos

Spinerg – Soluções para Energia, S.A.
Tel.: +351 214 200 400 ∙ Fax: +351 214 200 401
csc-empresas@spinerg.comwww.spinerg.com

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da “Manutenção” nº148. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

Outros artigos relacionados

Translate »