9 pilares da Indústria 4.0

9 pilares da Indústria 4.0

Depois de definirmos o que é a transformação digital, é importante perceber quais são os pilares da Indústria 4.0.

A transformação digital, tal como vimos anteriormente, é um fenómeno que tem vindo a acontecer ao longo dos últimos anos e está intrinsecamente interligado com a Indústria 4.0. Formada por um conjunto de tecnologias que ajudam as empresas a serem mais eficientes, a Indústria 4.0 é fundamental para garantir a competitividade das empresas no panorama atual.

Deste modo, ao longo deste artigo, iremos abordar os vários pilares da Indústria 4.0 e quais os benefícios associados à utilização de cada tecnologia, sendo eles:

  • Big Data;
  • Robots;
  • Digital Twin/ Simulação;
  • Internet das Coisas Industrial;
  • Cloud;
  • Cibersegurança;
  • Impressão 3D/ Manufaturação Aditiva;
  • Realidade Aumentada;
  • Integração de sistemas.

Os pilares da Indústria 4.0

Big Data

Tal como o nome pode sugerir, Big Data é uma tecnologia que permite a recolha e a análise de um grande volume de dados, que podem ou não ser estruturados. Isto traduz-se na possibilidade de analisar e cruzar informações em diferentes formatos, como texto, imagens, áudios e vídeos.

Os benefícios desta tecnologia prendem-se com a capacidade de analisar e identificar tendências de mercado e realizar análises preditivas, que poderão prever cenários futuros.

Robots

A introdução de robots na indústria não é nova. No entanto, com a Indústria 4.0 surgiram robots autónomos, desenvolvidos com Inteligência Artificial e Machine Learning. Estes robots são agora capazes de identificar situações em seu redor, aprender com elas e fazerem um auto-ajuste, sem necessidade de interferência humana.

A robotização dos processos (RPA- Robotic Process Automation) faz com que a mão de obra humana fique livre para realizar outras tarefas.

Digital Twin / Simulação

O gémeo digital é uma versão digital do produto em questão. Com ele, é possível realizar simulações, integrando o conhecimento adquirido através do Big Data, do Machine Learning e da Inteligência Artificial.

O grande benefício da simulação é que permite identificar possíveis falhas e problemas, podendo a empresa testar os novos produtos de forma virtual antes de os desenvolver na prática. Esta tecnologia permite uma prototipagem e uma experimentação rápida

Internet das Coisas Industrial

A ligação de eletrodomésticos à internet já não é novidade. Uma máquina de lavar a roupa que se pode ligar sem ter de estar em casa ou uma salamandra que se desliga através de uma aplicação são alguns dos exemplos. Como seria de esperar, os equipamentos da indústria também podem usufruir dos mesmos benefícios.

Assim, a Internet das Coisas Industrial é feita através de sensores, que identificam situações à sua voltas, e da internet, que transmitem informações aos sistemas. Os grandes benefícios da sua utilização são a melhoria no fluxo de produção, o aumento da agilidade do processo e a criação de informação para ajudar na tomada de decisões.

Cloud

Vindo do inglês, Cloud significa nuvem. No sentido lato, a nuvem é um espaço online onde se pode guardar informação, que é acessível de qualquer lugar, tendo as credenciais de acesso. O recurso à Cloud, para muitas empresas, faz parte da rotina, uma vez que existem muitos sistemas disponíveis como ERP’s, CRM’s, entre outros.

Cibersegurança

Estreitamente relacionada com os pontos anteriores está a cibersegurança. Como a conexão entre sistemas é essencial, a sua segurança também o é. Isto aplica-se tanto para conexões internas como externas. Como toda a informação é digital e de fácil acesso, o sistema está mais vulnerável a ataques informáticos e a roubos de informação, por exemplo.

Dessa forma, é fulcral que as empresas adotem medidas de proteção de dados, tal como anti-vírus, firewalls, entre outros, além de adotar boas práticas digitais, que vão proteger o seu ambiente de ataques, como bloquear sempre o computador ou não deixar informações importantes à vista de todos (como as passwords dos emails ou das sessões dos computadores).

Impressão 3D / Manufaturação Aditiva

A Manufaturação Aditiva veio revolucionar a forma como os produtos são produzidos. Na prática, o que ela faz é combinar o hardware e o software, para que em conjunto tirem o melhor proveito da matéria-prima. De forma simplificada, a impressão 3D deposita camadas de matéria-prima gradualmente até que o modelo tridimensional adquira a forma desejada. Assim, é possível a criação de peças sem a necessidade de moldes físicos, soldas e emendas. Ao criar um objeto na sua íntegra, esta técnica torna o produto mais resistente e preciso.

Realidade Aumentada

Primeiramente, é importante diferenciar realidade virtual e realidade aumentada. Enquanto a primeira constrói um mundo 100% digital e novo, a segunda cria objetos virtuais que são incluídos no mundo real. Por exemplo, numa fábrica onde é utilizada a realidade aumentada, vai-se continuar a ver a fábrica tal como ela é, mas será possível ver também o objeto virtual, como se estivesse lá materializado.

Os benefícios da realidade aumentada são vários uma vez que esta tecnologia pode ser aplicada de várias formas. Alguns exemplos são a projeção virtual de peças de forma a facilitar a realização de reparações, treino da utilização de ferramentas, entre outros.

Integração de sistemas

Tal como o nome indica, este pilar envolve juntar todos os sistemas, unificando informações e proporcionando um maior controlo sobre o produto e a empresa em geral.

A integração destes processos tecnológicos e os ganhos operacionais inerentes à sua utilização permitem a criação de empresas mais otimizadas, eficientes e competitivas.

Agora que já sabe quais são os 9 pilares da Indústria 4.0, já está mais capacitado para potenciar a transformação digital da sua empresa.

Translate »