abastecimento de águas públicas

Importância da manutenção numa empresa de abastecimento de águas públicas (2.ª parte)

O presente artigo pretende demonstrar a influência do setor e a atividade de manutenção numa empresa…

O presente artigo pretende demonstrar a influência do setor e a atividade de manutenção numa empresa que dedica a sua atividade ao tratamento e abastecimento de águas públicas, por forma a que esta consiga atingir os seus objectivos e, em particular, aquele que fundamenta a sua existência, ou seja, garantir o abastecimento de água em quantidade e qualidade à população. Desta forma, através da análise ao setor de manutenção da empresa em foco, pretende-se demonstrar a importância da implementação e execução de práticas de manutenção adequadas, para promover as sinergias organizativas, a sustentabilidade empresarial e o sucesso na execução do plano de investimento atualmente em vigor para este setor de atividade.

Processos e Equipamentos instalados em ETA

Resultante da tipologia e do vasto número de instalações que incorporam a Empresa Águas, a 2.ª Parte deste artigo irá incidir sobre a descrição do processo e equipamentos associados a uma das 25 estações de tratamento de águas pertencente à empresa, doravante denominada ETA-A.

A escolha para análise da referida instalação resulta da importância que a mesma representa para a atividade da empresa, na qual o setor da manutenção dedica especial atenção. A ETA-A, está preparada para tratar 100 litros de água por segundo, produzindo um total de 7140 metros cúbicos de água por dia, possibilitando o abastecimento a 37 mil habitantes distribuídos pelos concelhos de 3 Municípios na região onde esta se insere. O processo de tratamento de água realizado na ETA-A, encontra-se totalmente automatizado e integrado num sistema de controlo e gestão centralizado de toda a instalação, monitorizado por um sinóptico de processo, conforme mostram os exemplos da Figura 4. O funcionamento e controlo automático da ETA-A possibilita não só uma melhor e mais eficiente operação de todo o sistema, como também a supervisão e gestão de alarmes/alertas do processo e equipamentos, assim como uma rápida resposta a qualquer situação que saia do seu estado padrão, ao longo das 24 horas do seu funcionamento. Para a atividade da manutenção, este sistema revela ser de extrema utilidade, na medida que permite aumentar a disponibilidade dos Operadores para a realização das tarefas de manutenção que lhes estão adstritas, sem a consequente e eminente pressão sobre o encargo com as tarefas produtivas.

João F. Calais, João C. O. Matias, João P. S. Catalão
Universidade da Beira Interior – Departamento de Engenharia Eletromecânica

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da revista “Manutenção” nº123. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

    Outros artigos relacionados

    Translate »