Motores Eléctricos de Indução

Controlo de Condição de Motores Eléctricos de Indução Trifásicos (Parte 1)

Os motores eléctricos e sobretudo os motores eléctricos de indução trifásicos fazem hoje parte integrante…

Os motores eléctricos e sobretudo os motores eléctricos de indução trifásicos fazem hoje parte integrante, do accionamento da maioria das cadeias cinemáticas existentes na indústria. O objectivo deste trabalho é estudar os defeitos que ocorrem nestes equipamentos e sobretudo estabelecer uma metodologia que permita saber quais das técnicas de diagnóstico – análise de vibrações e/ou análise de corrente eléctrica – serão as mais eficazes ou as mais sensíveis na detecção desses defeitos, facilitando o processo da análise dos dados e respectivo diagnóstico.

Introdução

Durante os últimos anos surgiram no mercado novas ferramentas orientadas para o controlo de condição de motores eléctricos [1], [2] baseadas no tratamento do sinal eléctrico (medida de tensão e de corrente eléctrica). A utilização de tais ferramentas suportadas em hardware específico mas e sobretudo apoiadas num software inovador permite hoje ao técnico de manutenção ou ao analista responsável por garantir a fiabilidade dos activos, ajuizar com alguma segurança relativamente ao estado de conservação ou de condição dos motores eléctricos [3], [4].

Este trabalho combina a abordagem clássica da aplicação da técnica da análise de vibrações (Vibration Analysis)[5] com a técnica da análise de corrente em motores eléctricos (MCA – Motor Current Analysis ou MCSA – Motor Current Signature Analysis)[6], [7], [8], com o objectivo de reforçar o diagnóstico por um lado, e por outro lado ao confrontar os resultados da aplicaçao das duas técnicas investigar e tentar apontar em que situações é que uma das técnicas prevalece ou é mais sensível, em relação a outra técnica. Como é sabido muitos problemas mecânicos que ocorem nos motores eléctricos podem gerar problemas eléctricos ou manifestarem-se como problemas eléctricos e o inverso também ocorre [9]. Por exemplo um desalinhamento severo pode criar variação do entre-ferro e como tal, ambas as técnicas referidas devem poder evidenciar o problema. Possivelmente o resultado de um das técnica será eventualmente mais fácil de interpretar, elminando as dúvidas e contribuindo para a segurança do diagnóstico.

António A. Roque
DatAnálise, Serviços e Técnicas de Manutenção, Lda, Oeiras, Portugal
IDMEC/ISEL – Instituto Superior de Engenharia de Lisboa,
Departamento de Engenharia Mecânica, Lisboa, Portugal
José M. Ruiz
DatAnálise España, SL, Madrid, España

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da revista “Manutenção” nº106/107. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

    Outros artigos relacionados

    Translate »