Galp: crescimento da atividade internacional

Galp
Tel.: +351 217 242 500
galp@galp.com · galp.com

Os resultados da Galp no 1.º semestre de 2019 beneficiam o perfil integrado da empresa, que permitiu que as melhorias nos resultados da área de Exploração e Produção (E&P) de petróleo e gás natural, e também no Gas&Power (G&P), compensem o impacto da redução das margens de refinação europeias e as restrições operacionais que afetaram a Refinação e Distribuição (R&D). O resultado ajustado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda RCA) nos primeiros 6 meses de 2019 totalizou €1,1 mil milhões, um aumento de 2% em relação a 2018 (82% do valor com origem nos mercados internacionais).

O Ebitda da área de E&P aumentou 11% face ao semestre homólogo, totalizando €782 milhões, suportado num aumento de 5% da produção net entitlement de petróleo e gás natural. Os resultados operacionais da área de R&D caíram 28%, para €212 milhões, pressionados pela diminuição das margens de refinação no mercado europeu e por restrições operacionais que afetaram os volumes de matérias-primas processadas e também as vendas de produtos petrolíferos, nomeadamente os destinados à exportação. Os resultados do Gas & Power melhoraram 54%, para €105 milhões, suportados pela maior contribuição das vendas de gás natural e eletricidade, beneficiando ainda da atividade de trading de rede nos hubs europeus. O resultado líquido ajustado (RCA) do 1.º semestre de 2019 foi de €303 milhões, uma diminuição de cerca de 23% em relação ao período homólogo de 2018. O cash flow das atividades operacionais nos primeiros 6 meses do ano atingiu os €1,01 mil milhões, apesar do menor contributo da atividade de refinação. O free cash flow foi de €501 milhões ou €98 milhões depois do pagamento de dividendos a acionistas e a interesses que não controlam.

O investimento no 1.º semestre aumentou 6% em relação ao período homólogo do ano anterior, totalizando €385 milhões, dos quais 80% foram alocados ao negócio de E&P, incluindo a conclusão da aquisição de uma participação no BM-S-8, elevando para 20% a posição da Galp, e trabalhos na área de Carcará Norte. O investimento no downstream focou-se essencialmente na melhoria da eficiência energética das refinarias. A 30 de junho de 2019, a dívida líquida situava-se em €1,6 mil milhões, menos €140 milhões que no final de 2018. O rácio de dívida líquida sobre Ebitda RCA é de 0,7x.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta